alimentação

Mentir engorda – 5 mentiras que eu mais conto para mim mesma

por Jessica Oliveira Blaszcyk em

Hoje eu levei um susto ao me pesar, mais uma vez havia engordado. Por mais que quem esteja perto diga “você tá bem” (as pessoas só acham que você tem problemas com a balança se estiver uns 40 kg acima do peso) eu sei o quanto que eu deveria estar pesando e sei que não tenho me esforçado nem um pouco para mudar isso, pelo contrário, resolvi encontrar uma série de desculpas para ficar exatamente no mesmo lugar que estou. Aqui resolvi contar pra vocês algumas delas.

comendo_ian_somerhalder

  1. Eu vou mudar meus hábitos assim que…

Essa frase pode terminar de milhares de maneiras, eu postergo o meu emagrecimento e me dou mais uns dias (que viram meses) comendo desesperadamente e colocando uma meta lá no futuro. Geralmente eu acho que vou conseguir mudar ou na próxima segunda-feira, ou quando estiver calor – afinal frio da aquela fome – ou quando eu tiver mais tempo para cozinhar coisas saudáveis, ou na próxima ida ao mercado, e por aí vai. A verdade é que nunca esse dia chegará, a não ser que eu decida ou perceba que já passei da hora e adiar não é mais a solução.

  1. Vou comer tudo que eu tiver vontade de uma só vez, assim enjoo e paro de comer.

Está aí a minha mentira mais clássica. Essa serve de desculpa quando como um pacote de bolachas ou uma caixa de chocolate inteira de uma só vez, afinal, como vou me negar comer compulsivamente já que essa é a última vez que faço isso na vida? (E é claro que nunca é a última vez).

  1. Estou comendo a mesma quantidade que antes e continuo engordando.

A única forma de engordar sem comer é mentindo que está engordando sem estar comendo. A não ser que a pessoa tenha um sério problema de saúde, não existe a possibilidade de ela engordar mais sendo que está comendo pouco ou a mesma quantidade que comia quando não estava gorda. Mais uma que está na minha lista e que repito sempre para mim, perguntando pro céu como posso estar engordando tanto assim, já que eu continuo comendo a mesma quantidade de antes, tirando as últimas mil vezes que comi pizza e aguentei pelo menos um pedaço a mais que eu costumava aguentar.

  1. Não preciso ter um corpo musculoso, nem atleta eu sou.

Muitas vezes a gente confunde saúde com estética, ou pior pensamos que somente os atletas ou pessoas que o trabalho tenha alguma relação com a estética precisam cuidar da alimentação. Nós, meros mortais, temos mais é que comer mesmo.

  1. Eu vou fazer exercícios aeróbicos porque não vou conseguir parar de comer.

Finalmente eu repito essa frase para mim mesma como se fosse um mantra quando vejo aquele brigadeiro, feijoada, hambúrguer, pizza (…), na frente e sei que não vou resistir. Nessa hora eu começo a me fazer mil promessas mentalmente que saem mais ou menos assim: “ok, vamos comer, pois nós não resistimos uma boa comilança, mas em troca desse prazer teremos que correr muito, combinado? Amanhã cedo nós vamos correr no parque para compensar esse pé na jaca”. Essa mentira serve temporariamente para cortar a culpa no momento em que eu como, mas nunca consegui acordar cedo no dia seguinte e correr.

Por mais que seja uma forma de desabafar e brincar com a situação é bom lembrar, ninguém acorda pesando 50 kg a mais, então é necessário ficar atento, pois a gente sempre acha que “são só mais dois quilos, nem é tanto” e vai literalmente empurrando com a barriga e quando vê perdeu completamente o controle da situação. E você, se identificou com alguma dessas desculpas? Quais são as que você conta com mais frequência? Me conta para não me sentir sozinha.

imagem escolhida para ilustrar por motivos de ownnnn *suspiros*

Sobre o colágeno e a gelatina

por Jessica Oliveira Blaszcyk em

É muito complicado falar de alimentação de forma generalizada, pois algumas vezes o que funciona e é bom para um, pode fazer mal para outro. Além disso, milagres não existem, e pode ser que as coisas não funcionem tão maravilhosamente na prática quanto na teoria, mas para me ajudar nos posts com alimentação, pedi socorro para uma amiga que é nutricionista, e trouxe algumas dicas para a gente.

Antes de tudo vou apresentá-la: Carolina Mariano é Nutricionista (CRN8-6152), tem 25 anos e é especialista em Fitoterapicos pela Universidade Gamma Filho, além de pós-graduada em Nutrição Clínica pela Faculdade Evangélica do Paraná.

A primeira pergunta que fiz para ela foi sobre o colágeno que tem na gelatina. Sempre ouvi dizer que gelatina era bom por causa do colágeno, então eu tinha mania de tomar gelatina como se fosse chá (aquele momento em que ela que fica molinha antes de ir para a geladeira), achando que isso era o suficiente, e olha a resposta que recebi:

“Não, a gelatina não ajuda na obtenção de colágeno, pois a quantidade de colágeno que tem na gelatina é muito pequena comparada ao que precisamos. O ideal é comprar cápsulas de colágeno hidrolisado, que é aproveitado 100% pelo nosso organismo.”

Benefícios-do-colágeno

Fuéééé pra mim! Aprendi a dica e parei de tomar gelatina achando que tou abafando, claro que continua sendo uma fonte de colágeno, mas não para suprir a dose diária necessária para o meu corpo. Espero que tenham gostado.

Entenda melhor: Para ser mais bem absorvido, o colágeno necessita de vitamina c, presente em abundância no limão, no melão e na acerola; além de vitamina e, encontrada nas frutas oleaginosas e nos peixes como melhora a firmeza e a elasticidade da pele, o colágeno combate a celulite, as estrias e a flacidez. Resultado: corpo saudável e em forma. (Fonte: Corpo a corpo)

Apresentação4