Primeiro mês de vida

por Jessica Oliveira Blaszcyk em

Aqui os dias têm sido malucos e intensos, eu nem vi esse primeiro mês passar. Se tem uma dica que eu daria a todas as mães é que além de se preocuparem com o enxoval do bebê e o parto, estudem: baby blues, puerpério, pico de crescimento, salto de desenvolvimento, confusão de bicos e PRINCIPALMENTE sobre amamentação.

Amamentar é difícil, privação de sono é difícil e voltar para a casa com um serzinho que depende única e exclusivamente de você é assustador. Na maternidade eu estava surtando de alegria, brinquei que tive o oposto de depressão pós parto (que fique bem claro que era uma piada minha e não uma forma de ofender quem tem depressão, coisa que é muito séria, ok?!), o Léo dormiu as duas noites INTEIRAS na maternidade, eu acordava ele a noite para fazer ele mamar, porque ficava com medo de passar aquela “reserva” com a qual eles nascem, e o leite não descer por falta de estímulo, por isso estimulava muito mesmo, e ia ajeitando a pega dele.

Nos primeiros dias em casa eu tive alguns momentos que pareciam que eu estava ficando maluca, coisas do tipo: eu vi meu gato pulando da cama e achei que era o bebê se jogando no chão. Meu susto foi tão grande que rendeu uma crise de choro. Acordei no terceiro ou quarto dia em casa e levei um susto ao ver um bebê ao meu lado. Na confusão da falta de dormir, com a loucura que é a vida pós parto, eu cheguei a simplesmente não lembrar quem era ele, e perguntei ao meu marido se era nosso aquele bebê. Quando ele confirmou que sim, comecei a chorar compulsivamente.

O baby blues durou por volta de 5 dias e os finais de tarde eram a coisa mais assustadora e melancólica de todas. Tinha medos irracionais e achava que ele poderia morrer a qualquer momento. Tive medo de perdê-lo, medo de não dar conta, medo de não conseguir cuidar dele. Medo, medo, medo… Se não fosse o apoio e colo da minha mãe e irmã que estavam aqui, e o acolhimento do meu marido, não sei como teriam sido esses dias.

Esse primeiro mês exige dedicação exclusiva, abdicação do seu tempo, você está sangrando, vazando leite, se adaptando a uma nova rotina, conhecendo melhor o seu bebê e descobrindo sentimentos que nem imaginava que podia ter. É mágico, é apavorante e é delicioso. Nós sobrevivemos a esse primeiro mês com a ajuda da família que veio de SP para cá e nos alimentaram, nos apoiaram, deram colo e amor. Com grupo de apoio a amamentação no WhatsApp e com horas de pesquisas em sites como GVA.

Encerrei o mês com lágrimas ao perceber que o tempo estava voando e que a cada dia o meu bebê estava maior, e para não perder essas memórias contamos mais uma vez com a doce Laura, que nos registrou em meio a esse turbilhão de sentimentos e emoções.

LEO-7 LEO-22 LEO-32 LEO-38 LEO-60 LEO-64 LEO-69 LEO-76 LEO-81 LEO-87 LEO-97 LEO-99 LEO-102 LEO-107 LEO-111

LEO-93

Desenvolvimento do bebê:
Fica quietinho quando coloco música pra ele, geralmente sons instrumentais
Dorme bastante durante o dia e acorda muito a noite
Fica grudado por horas e horas no mamazinho dele
No começo chorava muito para tomar banho e na troca de roupas, mas em poucos dias passou a aproveitar esses momentos
Toma banho na banheira
Adora que conversem com ele
Gosta de dormir em cima da nossa barriga
Ama ficar no colo
Gosta de andar de carro

comentário(s) via Facebook • Comentar

Deixe seu comentário