January 2015

As músicas mais ouvidas em janeiro (por mim)

por Jessica Oliveira Blaszcyk em

Esse mês meu repertório musical – que geralmente é vasto – foi reduzido a algumas poucas músicas no maior estilo VICIADA mesmo. Por isso, vim contar quais foram as músicas que não saíram um segundo da minha cabeça e da minha playlist esse mês. Aposto que a maioria vocês já conhecem, mas quem não conhece fica como dica.

Taylor Swift – Blank Space

Selena Gomez – The Heart Wants What It Wants

Ariana Grande – Love me harder

Sia – Chandelier

Jessie J, Ariana Grande, Nicki Minaj – Bang Bang

Tem apenas 2x Ariana Grande em uma lista com 5 músicas, porque sim. #mejulguem

Sei que não são exatamente lançamentos, mas é vício mesmo. Espero que vocês gostem e se tiverem alguma recomendação musical estou aceitando.

Top 5: meus perfumes masculinos preferidos

por Jessica Oliveira Blaszcyk em

Vou confessar uma coisa para vocês: eu gosto mais do cheiro de perfumes masculinos, em geral, do que dos femininos. Sempre acho eles muito mais marcantes e gostosos, enquanto várias vezes os femininos me deixam com dor de cabeça. Então, geralmente eu acabo influenciando a escolha do perfume do meu marido, hahaha.

Acredito também que o perfume que a gente usa diz muito sobre nós, e dá aquela finalizada na composição do que estamos vestindo, praticamente um acessório indispensável. Por isso vim contar para vocês meu top 5 e quem sabe isso pode servir de ideia de presente para os amados de vocês.

#1: Armani CODE

Esse perfume foi o que o Gustavo mais usou até hoje, e acho que me traz boas recordações, por isso está no topo da minha lista. Segundo a descrição do produto, o frasco na cor Midnight Blue, é uma homenagem ao smoking de Giorgio Armani vestido por Denzel Washington na cerimônia do Oscar.

#2: Paco Rabanne 1 Million

Já havia sentido várias vezes esse cheiro e ficava na minha cabeça, até que um dia eu senti quando estava na casa dos meus tios, em São Paulo, e finalmente descobri qual era. Quase comprei um para o Gustavo na nossa viagem, mas acabei deixando os perfumes para última hora e não trouxemos nem o dele nem o meu – um minuto de silêncio por mim.

#3: Paco Rabanne Black X

Acho esse MARAVILHOSO, não tem muito um porque, eu senti ele uma vez, perguntei qual era e desde então eu sempre reconheço o cheiro dele em qualquer lugar.

#4: 212 Men

Acredito que esse seja o perfume mais manjado de todos, que qualquer um usa – ou seja, não será nada muito exclusivo, mas eu acho muito gostoso esse cheiro. Básico para o dia a dia.

#5: Lacoste Pour Homme

Assim como o primeiro da lista, esse também é um dos perfumes do Gustavo (o 2,3 e 4 não são), ele tem um cheiro amadeirado bem suave e fica ótimo para usar tanto de dia quanto a noite.

Espero que vocês gostem das escolhas.

Ensaio fotográfico: 6 anos casados!

por Jessica Oliveira Blaszcyk em

No dia 09 de janeiro completamos 6 anos de casados, e achei que uma boa forma de comemorar seria fazendo um ensaio fotográfico para eternizar essa fase de nossas vidas. A ideia na verdade surgiu quando soube que a Lorrayne (uma amiga minha da época que eu morava em Vinhedo, mas que ainda tenho contato) viria para Curitiba passar as férias de fim de ano. A Lo também é casada com um curitibano, mas eles moram nos EUA há alguns anos e ela estudou fotografia lá.

Sempre visitei o blog dela (vocês podem conhecer clicando aqui) e era completamente apaixonada por seu trabalho, então foi uma alegria poder compartilhar esse momento tão especial com ela. Espero que vocês gostem do resultado tanto quanto nós gostamos. As fotos foram tiradas no Parque Tanguá em Curitiba, achei o lugar incrível para fazer esse tipo de ensaio.

Lorrayne Josephine Photography_0176 Lorrayne Josephine Photography_0179

Para o blog Para o blog1 Para o blog2

 

Para o blog3

 

Para o blog8 Para o blog7 Para o blog6

Lorrayne Josephine Photography_0183 Lorrayne Josephine Photography_0188

 

Para o blog4 Para o blog9 Para o blog5

5 coisas que consegui fazer depois que larguei o meu emprego

por Jessica Oliveira Blaszcyk em

Esses dias estava pensando nas coisas que aconteceram na minha vida desde que saí do meu emprego, e resolvi fazer esse post contando algumas coisas que consegui priorizar na minha vida nessa nova fase. Claro que nem tudo são flores, e vários dias eu tive dúvida sobre para que lado eu ia e se as coisas iriam dar certo, porém nunca me questionei se deveria ter saído de lá ou não, pois foi uma decisão que tomei com muito segurança e certeza. Mas aqui vão as principais coisas que priorizei nos últimos 6 meses:

Comecei a cuidar melhor de mim e da minha família

Uma coisa que sentia muita falta quando estava atolada no trabalho era fazer coisas para a minha família como uma comida mais elaborada, colocar algumas coisas no lugar aqui em casa como livros, papéis, roupas… É claro que uma pessoa que trabalha fora também tem esses mesmos problemas, mas a maioria consegue se organizar e fazer fim de semana essas coisas, infelizmente cada um é de um jeito e eu não estava no grupo dessas pessoas tão multifunções e nunca conseguia priorizar essas atividades, acabava então desesperada para passar o maior tempo possível fazendo atividades que não me cansassem muito. Também consegui tempo para mim, com coisas que me dão prazer como ler, cuidar dos cabelos, aprender novas maquiagens e fotografar.

10893360_10204701918641237_648819217_n

 

Consegui criar uma ROTINA de atividades físicas

Que a verdade seja dita: eu nunca fui fã de academia. Então eu pensava que depois de passar quase 12 horas por dia longe de casa, às vezes mais, quando eu tivesse tempo livre a última coisa que eu faria era me enfiar em uma academia. Finalmente agora consegui incluir isso na minha vida e há 5 meses tenho ido pelo menos 3 vezes por semana para a academia, e melhor ainda: agora consigo ir nos mesmos horários que o meu marido, então tá sendo muito legal porque um incentiva o outro e eu até me arrisco a dizer que peguei gosto pela coisa.

Viajei mais vezes

Agora eu consigo agendar as minhas viagens sem depender da liberação de chefes, é só eu olhar minha agenda, organizar algumas atividades e pronto. Por isso, consegui ver amigas que moram longe e minha família mais vezes e por mais tempo. Por exemplo, no final de julho passei uma semana inteira em São Paulo na minha tia (quando fiz o curso na Belas Artes), eu nem lembrava mais há quanto tempo eu não ficava lá durante a semana, sem pressa para voltar.

IMG_1847

Minha alimentação melhorou

Com mais tempo para cozinhar, comer, pensar em cardápios, consegui finalmente fazer uma dieta (eu tinha engordado DEZ quilos em poucos meses) e estou voltando ao meu peso de antes, só que agora com muito mais saúde e disposição. Isso na época que eu trabalhava era algo impensável, pois eu não tinha tempo de cozinhar a noite e morria de preguiça de levar lanches, frutas e coisas saudáveis e passar o dia inteiro lá “contando calorias”. Já tinha muito estresse e não queria que a comida fosse mais um.

Mudei de profissão

Quando eu saí do meu emprego eu tinha alguma noção do que queria fazer da minha vida, mas nenhuma certeza. Algumas vezes recebi propostas de emprego e por algum momento pensei em aceitá-las, sem perceber que eu estaria voltando pra onde eu já havia estado. Nesse tempo consegui conhecer uma nova área, fazer cursos, me aprimorar e ver o que eu quero para mim. Isso de ter tempo para aprender, para adquirir conhecimento, para estudar e se dedicar 100% a isso é algo delicioso.

Sei que quando tomei essa decisão algumas pessoas ficaram inspiradas e vieram me contar que tinham a mesma vontade, então prometo tentar escrever algo mais voltado a parte prática da coisa, porque não é simples assim, não tem como todo mundo sair largando o emprego e nem acredito que para priorizar essas coisas que citei acima precisa estar sem trabalhar, mas queria compartilhar aqui algumas dessas experiências que vivenciei recentemente.

Netflix – Dezembro

por Jessica Oliveira Blaszcyk em

Em dezembro consegui assitir 14 filmes no Netflix e comecei a ver uma série nova (The Good Wife), então vou falar só dos MUITO bons e no final escrevo bem resumido o que achei dos outros que não foram tão bons assim, combinado?

Donnie Brasco (1997)

O agente do FBI Joe Pistone (Johnny Depp) se infiltra na máfia com o nome de “Donnie Brasco”, e começa a se identificar cada vez mais com os homens que deve capturar. Mike Newell dirige este drama baseado em fatos reais, que explora o relacionamento entre o caçador e a caça: o mafioso (Al Pacino) que toma Brasco sob sua tutela. Com Anne Heche e Bruno Kirby.

Donnie-Brasco-donnie-brasco-27932243-1921-1235

Meus comentários: Meu povo, que filme é esse? SENSACIONAL. Tem uma pitada de humor, mostra como funcionava dentro da máfia, o quanto um trabalho que exige tanto envolvimento pode deixar a vida dentro de casa abalada, fala de lealdade e tem dois dos meus atores preferidos, apenas tudo isso. Uma coisa que aprendi também é que filme bom (geralmente) é filme baseado em história real, e esse faz parte dessa categoria.

Profissão de Risco (2001)
Blow

George é um traficante de cocaína que surgiu do nada e se tornou um dos maiores chefes do tráfico nos EUA.

Blow-3-blow-the-movie-28048859-2048-1149

Meus comentários: Mais um filme ótimo com o Johnny Depp e Penelope Cruz, conta como foi que o personagem começou a vender drogas, mostra todo o glamour e também o lixo que é esse universo, onde um dia você “tem tudo” e no outro pode estar preso ou morto. Outro ponto marcante nesse filme é o relacionamento do personagem com seu pai e com a sua mãe, como a vida que os pais levam pode influenciar algumas escolhas e o quanto relacionamentos baseados em dinheiro podem ser frágeis. Esse está também na categoria “baseado em fatos reais”.

O grande herói (2013)
Lone Survivor

Mark Wahlberg é um oficial da marinha norte-americana neste drama repleto de ação baseado em uma missão verídica fracassada para capturar um chefe do Talibã.

Meus comentários: Conta a história real de uma equipe americana que estava em uma missão quando perdeu a comunicação a base, e foram encontrados pelos seus inimigos. Nesse filme podemos ver os soldados passando por coisas inimagináveis de sobreviverem e vemos o quanto o corpo pode aguentar em momentos assim, também achei legal mostrar que mesmo em território inimigo, sempre existem pessoas inocentes e do bem, porque geralmente eu fico meio irritada com filmes americanos super patriotas onde eles são sempre os bons moços/heróis enquanto o resto são terroristas/maus.
Blackfish (2013)
Este fascinante documentário analisa a vida da baleia assassina Tilikum, que vive em cativeiro e já causou a morte de várias pessoas.
Meus comentários: Já havia assistido trechos desse documentário e lido muito a respeito dele, mas pela primeira vez parei e assisti do começo ao fim. Vou contar que escorreram lágrimas várias vezes, e não foi pelas mortes que a baleia causou (não me chamem de insensível), mas por tudo que ela passou até se tornar essa “baleia assassina”. Terminei o documentário completamente apaixonada por essa espécie e com a certeza de que fiz muito bem na época que fui para Orlando de não ir a esse parque (Sea World). Sem contar que fala muito da manipulação tanto que foi feita pela mídia e com a mídia, a manipulação que os funcionários sofriam e como a gente acaba acreditando em qualquer coisa que nos falam, como por exemplo, as informações que eles passavam sobre as baleias nesse parque a maioria era mentira.
Dormindo com o inimigo (1991)
Sleeping with the Enemy
Uma esposa espancada escapa do marido fingindo a própria morte e começa uma vida nova com uma nova identidade, até que o marido volta a encontrá-la.
Meus comentários: A Julia Roberts está incrível nesse filme, e é bem engraçado ver ela mais nova que eu, hahaha, conta a história de uma mulher que sofria violência doméstica e planejou durante vários meses como iria fazer para abandonar seu marido e a vida que estava levando. Esse filme eu não amei tanto quanto os que comentei ali em cima, acho que tiveram umas cenas meio nada a ver e no fim a resolução foi super rápida, mas valeu a pena gastar meu tempo assistindo e recomendo sim, quem estiver procurando um filme drama/suspense pode ver que é bom.
Outros filmes que eu assisti durante esse mês:
Na teia da aranha (2001) – um filme de suspense com um ator que adoro (Morgan Freeman) que conta a história de um professor que sequestrou uma aluna por motivações políticas. O filme tinha tudo para ser muito inteligente e bem amarrado, mas teve tanta reviravolta que ficou muito sem noção.
A estranha perfeita (2007) - é um filme de suspense interessante, não amei mas achei bom, dá para assistir em um domingo a noite que você estiver a toa. O filme é com a Halle Berry e com o Bruce Willis.
Cinco Anos de Noivado (2012) – com Jason Segel e Emily Blunt conta a história de um casal que teve que adiar a sua festa de casamento algumas vezes por diversos motivos e zzzzzzzzzzzz. Sério, bem exagerado, podiam ter casado logo e não cansado minha beleza. Vale a pena só se você tiver MUITO a toa e sem opção melhor, porque não chega a ser MUITO ruim, só não é bom.
Jornada Pela Justiça (2010) - conta uma história real (e revoltante) de um homem inocente que foi preso. Eu vi outros filmes recentemente, mas não no Netflix, sobre situações parecidas, onde as pessoas primeiro vão presas, perdem anos e anos de sua vida, sua família é destruída e depois algum advogado realmente interessado consegue provar sua inocência, eu fico revoltada só de pensar quantos não tiveram a oportunidade de uma defesa decente e estão lá sem merecer. #momentorevolta
Par Perfeito (2010) – em algum momento da minha vida eu era APAIXONADA pelo Ashton Kutcher e as comédias água com açúcar que ele fazia, mas essa é tão no sense e exagerada, que nem com ele e com a linda e fofa da Katherine Heigl foi possível achar esse filme bom. No começo é engraçado e tem cenas legais, mas só vai ficando ruim com o decorrer dos minutos de filme. Mais uma vez, não vou tirar completamente a credibilidade do filme e me arrisco a dizer que vale a pena aquele dia que você não vai se importar em assistir cenas suuuuuuper exageradas e desnecessárias.
Babel (2006) - com Brad Pitt, o filme conta a história de um casal que estava de férias em Marrocos após sofrer uma tragédia pessoal, e é atingido por uma bala perdida disparada sem querer por uma criança local. A história é narrada em 4 países diferentes e é contada de vários pontos de vista. Achei bem interessante e é um filme bom, que vale a pena assistir.
Janela indiscreta (1954) – filme de Hitchcock com a MA-RA-VI-LHO-SA Grace Kelly, conta a história de um fotógrafo, interpretado por James Stewart, que após sofrer um acidente que o impede temporariamente de sair de casa, passa a observar seus vizinhos de forma obsessiva. De modo geral eu sou uma fã dos trabalhos do Hitchcock e como já contei aqui eu adoro filmes antigos, mas esse não foi nada UAU.

Patrick Maia: Piadas Para Pessoas (2014) – é um stand up de um ator de São Paulo, que eu particularmente achei super engraçado e já recomendei para vários amigos assistirem, eu dei muita risada mesmo.

Agora chega que meus dedinhos já estão cansados, espero que vocês consigam aproveitar alguma dica.